Arquivo da categoria: Sem categoria

História da Escrita Japonesa

A escrita foi introduzida no Japão entre os séculos VI e VII d.C. vindo da China. Sem um sistema de escrita nativo, os japoneses inicialmente aprenderam a escrever chinês utilizando caracteres chineses. Chegando ao fim do século VII d.C., o povo japonês já havia adaptado a escrita chinesa e estava utilizando caracteres chineses para escrever a língua japonesa. A língua chinesa, porém, era muito diferente da japonesa (não eram nem mesmo da mesma família lingüística), o que demandou uma complexa reconfiguração da escrita chinesa por parte dos japoneses.

Ideogramas Chineses
Ideogramas Chineses

O chinês tem um sistema de escrita parte ideogramático, parte silábico, isto é, com alguns ideogramas representando conceitos (objetos, ações e idéias) e outros ideogramas representando sílabas fonéticas. Quando utilizando a escrita chinesa, os japoneses primeiramente a utilizaram foneticamente. Se queriam escrever a palavra japonesa ONNA (mulher), por exemplo, utilizavam dois caracteres chineses: um para o fonema ON e outro para o fonema NA. Após algum tempo, passaram a utilizar a escrita chinesa ideogramaticamente. Para escrever ONNA utilizavam o ideograma chinês que significava mulher. Este estilo de escrita, que caracterizou a escrita japonesa até o século VII, é conhecido com Kanji.

Ideograma que significa Meditação. Em chinês, lê-se "Chan", enquanto em japones, lê-se "Zen"
Ideograma que significa Meditação. Em chinês, lê-se “Chan”, e em japones, lê-se “Zen”

O problema aparece quando não há correspondentes chineses para palavras japonesas. A solução foi a reutilização de ideogramas foneticamente, baseado agora tanto na língua japonesa quanto na língua chinesa. O sobrenome YAMAGUCHI, por exemplo, era escrito por três ideogramas. O primeiro era o ideograma chinês para montanha, que em japonês lia-se YAMA (em chinês era lido “shang”), enquanto os outros dois eram os correspondentes chineses para os fonemas GU e CHI.

O sistema de escrita fonética exclusivamente japonês, os Kana (que significa “palavras emprestadas”), surgiu apenas no século VII, quando dois silabários foram criados no Japão baseados em ideogramas chineses: o Hirigana e o Katakana. Os Kana vieram substituir a utilização de ideogramas chineses de maneira fonética.

Duas sílabas japonesas derivadas do ideograma chinês "Onna" (mulher)
Dois kana japoneses derivados do ideograma chinês “Onna” (mulher)

Atualmente, a escrita japonesa não possui um alfabeto propriamente dito, mas um sistema de ideogramas (Kanji) e dois silabários fonéticos (os Kana). O kanji tem uma função eminentemente semântica enquanto os Kana são usados para indicar a flexão verbal, empregados como partículas e na escrita de palavras simples, onomatopéias e palavras estrangeiras. Mais detalhes nos proximos posts.

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Sem categoria

História da Língua Japonesa

Diferente de línguas européias como o inglês ou francês, cuja origem remonta a uma família lingüística definida (no caso, a Indo-Européia), a língua japonesa não tem uma origem determinada. Apesar da extensa pesquisa dos filólogos japoneses, não existe nenhuma evidência concreta o suficiente para ligar a língua japonesa a uma única família lingüística. Existem algumas teorias circulando na comunidade lingüística quanto à origem da língua japonesa.

A principal delas liga o japonês à família Altaica, da qual fazem parte o Turco e Coreano.  A linguagem Altaica, falada na região da estepe Transcaspiana, supostamente foi levada ao Japão devido a uma migração maciça destes povos no século XX a.C., sendo considerado o clã Yayoi, imigrantes da região coreana, responsável pela introdução da língua nas ilhas japonesas.

 

Movimento de Migração da Língua Altaica em 2000 a.C.
Movimento de Migração da Língua Altaica em 2000 a.C.

 

 

Existem ainda outras teorias que ressaltam a influência de outras línguas asiáticas na formação da língua japonesa, como as línguas do sudeste asiático (tibetano, vietnamita) e da Polinésia. A mais aceita das teorias é a híbrida que alude a influencia das línguas austronésias, como o Malaio e outras línguas do Pacífico, na formação lexical da maioria dos termos japoneses.

 

Influências na formação da língua Japonesa
Influências na formação da língua Japonesa

 

 

Com a introdução da cultura chinesa, a língua japonesa sofreu uma profunda alteração, posto que novos meios de pensamento e expressão também foram introduzidos. Apesar de a maioria das palavras japonesas derivarem-se do chinês (cerca de sessenta por cento), a gramática japonesa parece não ter se alterado muito neste processo.

6 Comentários

Arquivado em Sem categoria

Apresentação

Este é mais um projeto de desenvolvimento pessoal, isto é, uma tentativa minha de conseguir um novo conhecimento, compartilhando minhas descobertas com o mundo durante o processo. Este blog é indicado para iniciantes que, como eu, querem aprender o japonês.

Eu não domino o japonês (ainda ^_^) e o que for escrito aqui será feito por um estudante de japonês. Estou avisando porque posso cometer erros crassos durante o desenvolvimento do blog e peço a ajuda de quem puder corrigir estes erros que podem surgir.

O motivo que me levou a criação deste blog é bem simples. Na verdade são dois. Primeiro sempre achei os outros blogs sobre o assunto meio desorganizados e intimidantes para quem não os encontrou desde o inicio das suas postagem. Não tiro o crédito do conteúdo (que geralmente é excelente), mas da forma que ele é trazido ao público. O segundo motivo é que eu mesmo estou querendo dar seguimento ao aprendizado da lingua japonesa, atividade para a qual não encontrei um foco e, para isso, espero que este blog me ajude tanto quanto a vocês.

Enfim. É isto. Os post já estão sendo escritos. Começaremos pela história da língua japonesa ainda esta semana.

Até o nosso próximo encontro.

さよなら

PS. se você não consegue ler a expressão acima, tente baixar e instalar as fontes indicadas esta fontes aqui e aqui, disponibilizadas pelo site linguajaponesa.com.br.

7 Comentários

Arquivado em Sem categoria